quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Os Dons espirituais estão disponíveis nos dias de hoje como em Pentecostes? - Parte 02 - Conclusão

O testemunho bíblico a favor dos pentecostais

Como já vimos no presente estudo, a Bíblia não mostra em lugar nenhum que alguns dons espirituais cessariam após um determinado período de tempo aqui na Terra, pelo contrário! As referências são abundantes quando se refere a promessa do Consolador (Espírito Santo), tanto para os primeiros crentes como para todos quantos cressem, até quando a Igreja permanecer aqui na Terra.

Vamos agora expor através de algumas referências bíblicas (além das que já foram citadas nesse estudo) que o Espírito Santo continua a se manifestar nos dias atuais como em Pentecostes e no início da Igreja.

MATEUS 3:11

A referência supra citada traz o seguinte por texto: “Eu, na verdade, vos batizo em água, na base do arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu, que nem sou digno de levar-lhe as alparcas; ele vos batizará no Espírito Santo, e em fogo”. A fala é de João Batista, quando o mesmo ministrava a pregação do batismo para arrependimento. João falou que aquele que vinha após ele, isso é, Jesus, batizaria com o Espírito Santo e não com água (quem batiza com água é o Ministro do Evangelho), realizando uma clara distinção (já exposta no estudo) entre o batismo nas águas e o batismo no Espírito Santo; vale-se destacar que Jesus não batizou ninguém enquanto estava aqui na Terra, mostrando mais uma vez que Ele só nos batizaria após sua ida para os céus, permanecendo esse batismo disponível até a sua volta.

ATOS 1:8

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. O verso 8 é uma fala do Senhor Jesus, nele Cristo promete a virtude (poder) do Espírito Santo sobre os discípulos, cf. Lc 24:49. Mas o interessante é que a construção frasal do verso deixa claro que a virtude seria para formar testemunhas para todo o mundo (isso inclui a América, ‘descoberta’ somente no século XV), quando o Senhor progride desde ‘Jerusalém’ até ‘os confins da terra’. Mais do que lógico, pois não seria justo deixar o continente americano, a Austrália e a Oceania sem testemunhas, pois o próprio Cristo afirmou que o fim só viria quando o Evangelho fosse testemunhado em todas as nações (Mt 24:14).

ATOS 2:38-39

Temos aqui mais um bom testemunho bíblico a favor do pentecostalismo contemporâneo. A referência em abordagem traz o seguinte conteúdo: “Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. Porque a promessa vos pertence a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe: a quantos o Senhor nosso Deus chamar”. Os versos são bastante claros em seus significados; sendo que o apóstolo Pedro ministrou essas palavras após a descida do Espírito Santo. Ao responder a pergunta dos da Casa de Israel sobre como proceder, ele disse que deveriam se arrepender dos seus pecados, se converter a Cristo para ter os pecados perdoados (tendo como símbolo o batismo nas águas), para depois receber o dom do Espírito Santo (o batismo no Espírito Santo); e mais na frente ele prossegue com a afirmação de que a promessa (do batismo no Espírito Santo) era pertencente a eles, aos seus filhos e a todos os que estão longe, ou seja, a quantos o Senhor Jesus chamar para o arrependimento e a salvação.

Perceba-se que o ‘arrepender-se’ e o ‘ser batizado em nome de Jesus’ estão na mesma sentença gramatical, apenas na outra sentença do verso é que o apóstolo Pedro fala do ‘dom do Espírito Santo’ e da ‘promessa’, em clara alusão a promessa do revestimento de poder em Lc 24:49, que acabara de ser cumprida.

Lembre-se ainda que mais uma vez não há uma restrição bíblica a um determinado período de validez para a promessa, dando-se a entender nitidamente que a promessa é para todos quantos vierem a crer.


ATOS 8:5-17

“E descendo Filipe à cidade de Samaria, pregava-lhes a Cristo. As multidões escutavam, unânimes, as coisas que Filipe dizia, ouvindo-o e vendo os sinais que operava; pois saíam de muitos possessos os espíritos imundos, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados; pelo que houve grande alegria naquela cidade. Ora, estava ali certo homem chamado Simão, que vinha exercendo naquela cidade a arte mágica, fazendo pasmar o povo da Samaria, e dizendo ser ele uma grande personagem; ao qual todos atendiam, desde o menor até o maior, dizendo: Este é o Poder de Deus que se chama Grande. Eles o atendiam porque já desde muito tempo os vinha fazendo pasmar com suas artes mágicas. Mas, quando creram em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus e do nome de Jesus, batizavam-se homens e mulheres. E creu até o próprio Simão e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e admirava-se, vendo os sinais e os grandes milagres que se faziam. Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, tendo ouvido que os da Samaria haviam recebido a palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João; os quais, tendo descido, oraram por eles, para que recebessem o Espírito Santo. Porque sobre nenhum deles havia ele descido ainda; mas somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus. Então lhes impuseram as mãos, e eles receberam o Espírito Santo.

O relato histórico do doutor Lucas é bastante rico em informações, assim como o restante do livro de Atos e o Evangelho que leva seu nome. Aqui encontramos o relato da pregação do Evangelho na região de Samaria por parte do evangelista e diácono Filipe (não confundir com o apóstolo). Podemos perceber claramente a profecia do Senhor Jesus em Atos 1:8 (e também Jo 14:12) se cumprindo aqui com os sinais e grandes milagres que Filipe operava pelo poder do Espírito Santo. Percebemos que todos quantos estavam crendo no Senhor Jesus estavam sendo batizados nas águas por Filipe, e que quando chegou em Jerusalém a notícia de que o Evangelho havia alcançado Samaria, foi-lhes enviados os apóstolos Pedro e João, que após uma verificação da obra perceberam que nenhum deles ainda havia recebido o Espírito Santo (mas sido apenas batizados em nome do Senhor Jesus, ou seja batizados nas águas), problema esse que eles trataram logo de tentar solucionar com uma oração, oração essa que surtiu efeito, e que resultou nos crentes de Samaria recebendo o Espírito Santo, ou seja, recebendo o batismo no Espírito Santo, pois o Espírito já habitava neles como em qualquer outro crente (2 Co 4:13; Ef 2:18).

Esses versos fazem uma distinção claríssima entre a conversão/batismo em águas e entre o batismo do Espírito Santo. Não há espaço para dúvidas.

ATOS 19:1-6

O texto em abordagem traz as seguintes palavras: “E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo tendo atravessado as regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, perguntou-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? Responderam-lhe eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo. Tornou-lhes ele: Em que fostes batizados então? E eles disseram: No batismo de João. Mas Paulo respondeu: João administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus. Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus. Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas e profetizavam.

Mais uma vez percebemos o batismo no Espírito Santo sendo concedido após o crer em Jesus (como pensam os cessacionistas), além disso, vemos também os sinais do batismo no Espírito Santo (línguas e profecias). O interessante é que o apóstolo Paulo se surpreende ao descobrir que eles não haviam recebido o Espírito Santo (sido batizados com Ele), demonstrando que a virtude do Espírito Santo poderia ser adquirida por qualquer irmão e em qualquer lugar (entendam o sentido do termo ‘qualquer lugar’), sem a necessidade da intervenção de um apóstolo, como pensam os cessacionistas; não tinha como um apóstolo ter viajado até Eféso antes de Paulo, até por que foi ele quem fundou a igreja de Eféso, no ano de 53 d.C., por ocasião do seu retorno da segunda viagem missionária.

JOÃO 7:38-39

“Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva. Ora, isto ele disse a respeito do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito ainda não fora dado, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado”.

Tomando por base o texto acima, vamos encerrar a exposição de textos bíblicos a favor do pentecostalismo contemporâneo. A primeira sentença desse texto são palavras do Senhor Jesus, através delas Cristo expressa como serão as maravilhosas sensações interiores daqueles que recebessem o Espírito Santo, como o apóstolo João explicou no verso seguinte.

Quem crê no Senhor Jesus segundo os parâmetros das Escrituras Sagradas, sentirá correr dentro de si os rios de água viva, os rios do Espírito Santo. São águas que purificam, que curam, que libertam, que nos enche de paz, do poder e do gozo imensurável do mover do Espírito Santo em nossas vidas.

Como dizem as próprias escrituras:

“enchei-vos do Espírito” (Ef 5:18) e

“Não extingais o Espírito” (1 Te 5:19).

Anchieta Campos

3 comentários:

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

Irmão Anchieta, parabéns por suas abordagens bíblicas por meio desses dois artigos, você mostrou muito bem a fragilidade do cessacionismo. Fico imaginando como pode homens tão bem preparados teologicamente argumentarem a favor de uma doutrina tão fraca e que utiliza da exegese distorcida para benefício próprio. Ora, quem disse que profecia é acréscimo do Cânon? Nenhum pentecostal sensato diria isso, pois como você bem afirmou, a profecia é serva das Escrituras, não são iguais e nem a profecia é superior. Lembrando que as profecias são falíveis e sujeitas ao julgamento da congregação. Alguém pode perguntar: Mas como a profecia é falível, se é Deus falando a Igreja? A resposta é simples, pois a profecia é semelhante à pregação, ambas são Deus falando a Igreja, mas ambas estão sujeitas a erros e julgamentos. A diferença entre profecia e pregação, é que a profecia vem de modo sobrenatural, não sendo prevista ou planejada e a pregação é prevista e preparada por meio da preparação do sermão.
Os pentecostais (verdadeiros) são os maiores defensores da suficiência bíblica, pois nada está acima ou equivalente a Palavra, nem profecia, pregação, homilia, ensino, tradição ou resoluções denominacionais. NADA!

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Anchieta Campos disse...

Caro Irmão Gutierres,

Suas visitas são sempre bem vindas em meu humilde espaço. Elas me honram e me motivam grandemente.

Realmente até hoje procuro uma razão convincente para que os amados irmãos calvinistas insistam em defender dois absurdos doutrinários (a cessação e a predestinação, essa última pior ainda). Existem muitos irmãos presbiterianos, batistas, enfim, de denominações históricas, muito, mas muito bem preparados mesmo teológicamente. Penso ser a forte tradição religiosa que herdaram, que os fazem perder um pouco a razão bíblica, buscando, como bem disse o amado, uma hermenêutica sempre tendenciosa para corroborar com seus pontos mal fundados.

Obrigado pela visita. Que o Senhor te abençoe sempre! em nome de Jesus!

Anchieta Campos

Marília Alves Lira disse...

Agradeço a Deus por ter lido sobre tudo que explicou,sobre os dons, eu eu sou evangélica e sempre acreditei nos dons , mas eu tinha visto em um site de uma igreja dessas que defendem o cessar de alguns dons e tinha ficado desorientada mas agora ficou esclarecido pra mim !! obrigado e parabéns