sábado, 4 de outubro de 2008

Os cheirosos e os fedorentos

Primeiramente gostaria de dizer que qualquer semelhança com nomes e fatos mencionados abaixo são mera coincidência.

Era uma vez o pastor-político Godofredo Tio Luiz do Mel, que desde seu ingresso na vida pública já despertou o alerta na igreja que liderava e demais de sua cidade, de que este negócio de acumular função de pastor com a de político acabaria dando errado.

Pulando três anos de um relativo sucesso, e pulando os últimos 9 meses de um total escândalo, marcado por baixarias, meninices, mentiras e tudo de má fama que poderia atingir um líder evangélico, chegamos então até o último dia 02 de outubro, e o dito pastor-político, já conhecido por seus discursos apimentados e nada cristãos, piores que os discursos dos incrédulos confessionais, para encerrar com chave de ouro, profere a pérola (não a maior da campanha):

“Os eleitores do ‘menino’ são fedorentos, e os eleitores do ‘homem’ são cheirosos”.

O que o dito pastor-político esqueceu é que 80% da igreja que ele “lidera” é eleitora do ‘menino’, tendo assim chamado as suas próprias ovelhas de fedorentas, bem como chamou 55% dos eleitores da cidade de fedorentos.

É... neste caso em particular, eu sou um “grande fedorento” com todo o orgulho! Pois se ser “fedorento” é ser compactuante com a honestidade e seriedade, serei um “eterno fedorento”.

Mesmo sabendo que sou um pecador e falho, extremamente carente da graça de Deus, aprendi com a minha família (sustentáculo da sociedade) que a honestidade, a vergonha na cara e a seriedade, são marcas que se devem fazer presentes na personalidade de pessoas que querem ser respeitadas e admiradas pelos seus próximos e pela sociedade em geral. É isto.

E para encerrar, como os crentes da igreja do dito pastor-político respondem a abordagens de ímpios que dizem “e um pastor pode dizer essas coisas? Pensei que pastor não podia ficar falando assim das pessoas e dizendo essas coisas”? Bem... eu sinceramente não sei mais o que fazer, já cansei de lutar, joguei a toalha, e seja o que Deus quiser do seu povo que se congrega nesta igreja, que, vamos dizer, eu conheço muito bem; creio que entenderam de que igreja estou falando.

Vou encerrar por aqui, mas externando que é forte o meu desejo de dar umas descascadas a mais e dizer mais algumas verdades, mas por aqui já está bom.

Ver também meus posts:

Não toqueis nos meus ungidos?

Zelar pela honestidade

Pastor em ativa e a ocupação de cargo político

A politicagem e sua má influência

Com amor e temor,

Anchieta Campos

6 comentários:

cincosolas disse...

Anchieta,

Não atinei de qual igreja está falando, mas a situação toda é lamentável.

Dias atrás, na sala de professores da faculdade que leciono, ouvi o seguinte diálogo, entre dois descrentes:

- Ontem os crentes forraram a rua de santinhos com a foto do candidato X...

- Mas não é proibido?

- Não era a favor do candidato X, era orientando aos crentes a não votar no candidato X, pois ele tem uma amante.

Detalhe: o candidato X é evangélico.

Anchieta Campos disse...

Caro irmão Clóvis, a paz do Senhor.

Realmente o meu objetivo não é atacar diretamente a figura do líder desta igreja, de modo que se eu demonstrasse diretamente de que igreja se trata, estaria revelando conseqüentemente a figura de tal líder.

Mas a verdade é que quem está familiarizado com o contexto evangélico/político da minha cidade, sabe muito bem de quem estou falando. Mas repito que meu objetivo não é atacar a figura pessoal de tal líder (apesar de que vontade e argumentos para tal não faltam), mas tão somente demonstrar a incoerência de suas palavras e atitudes.

O caso trazido pelo irmão apenas vem a demonstrar a qual situação chegamos, onde tenho que concordar com Silas Malafaia, ao dizer que se um pastor for ser candidato, retire o nome de pastor, pois pastor é algo diferente de político.

Forte abraço!

Anchieta Campos

Anchieta Campos disse...

Prezado irmão Miel, a paz do Senhor.

Obrigado pela sua valorosa visita e participação neste humilde espaço.

O pior de tudo é que são estas pessoas que vem querer nos orientar e dizer para que as suas ovelhas não se deixem influenciar por este período eleitoral. É muita contradição e hipocrisia!

Deus o abençoe e guarde grandemente. Amém.

Anchieta Campos

miel disse...

Primeiramente, não quiz atingir ao pastor Alfredo, sei do real valor que ele possue para cada um de nós membros, em segundo lugar tentei abordar, o que acontece com igrejas quando estão diretamente ou indiretamente envolvidas com politica, Aqui vai as desculpas pelas más interpretações e pelos equívocos causados nesse meio de comunicação!!! QUANTO AO LUÍZ INÁCIO SEJA HOMEM E SE IDENTIFIQUE, (COVARDE)vc fala fala e fica com ondinha de luiz inácio, espero que vc prove o meu pecado seu *CALUNIADOR*... Você é outro rapá até imagino quem vc é.!!! to sempre na igreja se quizer pode me dizer la mesmo...espero respostas suas, "IRMÃO". AO Pastor Alfredo, a quem admiro muito, vai aqui minhas sinceras desculpas pelo mal entendido.

josiel disse...

Anchieta,

Gostei do protesto e parabéns pelo equilibrio ao conter o desejo de dar umas descascadas a mais.Talvez não valha a pena pois ... sabe aquela estória ou será que é história de crente cebola?

Josiel.

Anchieta Campos disse...

Caro amigo e irmão Josiel, a paz do Senhor.

Muito me alegra ao contemplar sua intervenção neste espaço.

Não quero me considerar exemplo em comportamento, mas Deus me tem concedido a graça de ser paciente e equilibrado. Aleluia!

Forte abraço e obrigado por sua valiosa visita!

Anchieta Campos