quinta-feira, 27 de março de 2008

Devemos usar pães asmos na Ceia das igrejas?

Atualmente tenho visto internet adentro artigos evangélicos que tratam do tipo de pão que deve ser usado na atual Ceia da Igreja. Tenho visto opiniões no sentido de se defender (até o ponto de dizer que é o único modo correto e aceito) o uso de pães asmos (sem fermento) em nossas ceias, que são a Páscoa cristã (ver meu post A verdadeira Páscoa bíblica). Creio que na grande maioria das igrejas evangélicas no Brasil, especialmente nas Assembléias de Deus (falo de onde conheço), o pão usado na Santa Ceia é o pão normal, com fermento; pelo menos aqui em minha igreja é assim.

Neste sucinto artigo mostrarei (biblicamente, óbvio) se a Igreja neo-testamentária está debaixo da obrigação de realizar a Santa Ceia com o pão asmo, conforme o é determinado para Israel na celebração de sua Páscoa.

É bem verdade que os pães asmos (ou ázimos) eram os usados pelos judeus em suas celebrações da Páscoa e dos pães asmos (como o próprio nome já diz). Agora temos que considerar o seguinte: a festa (celebração) com os pães ázimos foi algo estabelecido estritamente para com Israel, como memória da libertação do Egito (cf. Êx 12:14-18); lembre-se também que Jesus e os apóstolos eram judeus (a graça ainda não estava estabelecida), portanto, estavam debaixo da lei para a cumprir, como bem Cristo a cumpriu (Mt 5:17; Lc 2:22,39).

Devemos perceber também que na Páscoa original não havia o vinho, Deus não estabeleceu o vinho na Páscoa original hebraica, e nós bem sabemos que na nossa Ceia (a Ceia da Eclésia) o vinho já é um ingrediente, e ingrediente de suma importância e indispensável para sua celebração e significado; perceba-se que o vinho não fazia parte da celebração pascoal dos judeus no tempo de Jesus, ele estava apenas como um acompanhante, mas não fazia parte da liturgia bíblica original, não fazia parte da memória do êxodo, diferentemente para a Igreja, onde o vinho não é um acompanhante, mas parte essencial da liturgia da Igreja na Ceia, como bem determinou Jesus, onde o vinho relembra categoricamente o Seu sangue puro, que compõe a nossa Páscoa.

Logo, podemos concluir que há sim uma diferença de celebração (litúrgica inclusive) entre a Páscoa judia e a Páscoa cristã. Nos lembremos por fim que Paulo põe para a Igreja um significado bem espiritual e simbólico para o fermento e os ázimos, onde ele diz “Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade” 1 Co 5:8; Paulo diz claramente que o que importa não é o fermento em si e os ázimos em si, mas sim o que eles simbolizam, ou seja, devemos tirar o homem velho e pecador de nós, tirar a maldade e a malícia de nós, para nos revestirmos da sinceridade e da verdade; somente assim a festa (a Páscoa) será verdadeira e válida para com Deus.

Quanto à referência de Malaquias 1:7, freqüentemente usada pelos defensores do uso do pão asmo na Ceia da Igreja, onde eles afirmam que aquele contexto fala de uma profecia referente à Igreja e sua ceia, podemos perceber claramente em uma análise imparcial e sistemática que ali não se trata, em hipótese alguma, de uma palavra profética direcionada para os nossos dias. Vejam bem: “Peso da palavra do Senhor contra Israel (v. 01); nos versos 2 ao 5 o Senhor realiza um paralelo claro entre Israel e Edom (ou Esaú = palestinos); a partir do verso 6 o Senhor começa a exortação contra Israel, mas especificamente contra os sacerdotes, como em que um pai exorta um filho rebelde; esta exortação é clara no sentido de Deus reprovar os sacrifícios que eram ofertados, onde eram ofertados animais aleijados ou doentes (v. 08), o que contraria a Lei de Deus (Lv 22:20-22); no verso 9 quem fala é Malaquias, e ele usa a expressão “suplicai o favor de Deus, e ele terá piedade de nós; Malaquias se refere claramente ao povo de seu tempo. O pão do verso 7 simboliza um alimento para o Senhor (claro que nós sabemos que Deus não precisa se alimentar, é simbólico), com bem fica claro no verso 12, onde se diz “Mas vós o profanais, quando dizeis: A mesa do Senhor é impura, e o seu produto, a sua comida, é desprezível, o pão do verso 7 se refere, neste caso, aos sacrifícios. Nós bem sabemos que na nossa Ceia, como está devidamente estabelecida para a Igreja, o pão e o vinho é alimento para nós, os crentes, e não um ato de oferecimento para com Deus, senão relembrarmos o Cristo que fora oferecido ao Pai, o qual o seu sangue e corpo (simbolizados no vinho e no pão) são alimentos para nós, Igreja, que nos dá vida (Jo 6:31-58). Malaquias encerra dizendo no verso 14 “Pois maldito seja o enganador, que, tendo animal no seu rebanho, promete e oferece ao Senhor uma coisa vil.

Nós aprendemos na hermenêutica que é o Novo Testamente que dá a correta interpretação do Velho. É lógico que todas as passagens do VT podem ser levadas em conta pela igreja para edificação espiritual, quando analisadas com os olhos espirituais, tentando tirar o que determinada passagem nos ensina. Agora, uma passagem ou profecia bíblica vero-testamentária só é dirigida e se aplica integralmente em nossos dias quando a mesma expressamente assim o diz (e.g. Is 2:2; 53:11; Dn 12:4; Joel 2:28-32; Mq 4:1; Ml 3:1-4). É preciso cuidado no paralelo entre as alianças.

Portanto, a Igreja não tem a obrigação bíblica de realizar a sua Ceia com pães asmos. A Bíblia não ordena assim, nem dá margens para assim se entender. Agora, quem quiser realizar com pães asmos não estará pecando, senão quando condenar os que assim não procedem e no fato de fazer este modo como o correto e bíblico, pois não é assim.

Anchieta Campos

11 comentários:

ANISIO TRINDADE disse...

ÓLÁ,BOA-NOITE

EU VOU DIZER UMA PASSAGEM NA BIBLIA QUE VALA DO PÃO ASMO,(AZIMO)
ATOS 20:6,7 SANTA CEIA DE PAULO PÃO ASMO.
MATEUS 26:17 A 30 JESUS PÃO ASMO.
MARCOS 14:12 A 26 JESUS PÃO AZIMO.
LUCAS 22:7 A 23 JESUS PÃO ASMO.
I CORINTIOS 5:7,8 FERMENTO,EO SIMBOLO DO PECADO
JOÃO 4:22 SALVAÇÃO VEM DO JUDEUS.

APOCALIPSE 2:9 DIZEM SER JUDEUS E NÃO O SÃO MAS SÃO A SINAGOGA DE SATANÁS.

APOCALIPESE 3:9 EIS QUE EU FAREI AOS DA SINAGOGA DE SATANÁS(DIZEM SER JUDEUS E NÃO SÃO)

MATEUS 22:29 ERRAIS,POR NÃO CONHECER AS ESCRITURAS.

2 JOÃO 1:9 QUEM NÃO TEM DOUTRINA NÃO TEM CRISTO, NÃO TEM DEUS;

JOÃO 8:44 SATANÁS NÃO SE FIRMOU NA VERDADE.

JOÃO 8:32 CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ.

JEREMIAS 10:10 DEUS E A VERDADE
JOÃO 14:6 JESUS E A VERDADE
JOÃO 16:13 ESPIRITO E A VERDADE
JOÃO 17:17 PALAVRA E A VERDADE
SALMO 119:151 OS MANDAMENTOS E A VERDADE
1 JOÃO 5:6 ESPIRITO E A VERDADE

MATEUS 2:1 JESUS NASCEU BELÉM DA JUDÉIA;JESUS É JUDEU QUEM SE CONVERTE A ELE TAMBEM E JUDEU.
MANDA FAZER UMA BIBLIA BRASILEIRA PARA VOCÊ.PORQUE A BIBLIA FOI ESCRITA EM EBRAICO HARAMAICO E NOVO TESTAMENTO EN GREGO.

JOÃO 2:14 COMERCIO,CANTINA CD´S
MATEUS 21:12 " " "
MARCOS 11:15 " " "
LUCAS 19:45 " " "

DEOTERONOMIO 22:5 MULHER NÃO USAR VESTE DE HOMENS.

1 TIMOTEO 2:9 MULHER TRAJE DECENTE.
ISAIAS 3:18 BRINCOS,ANEIS,PULSEIRAS
1 CORINTIOS 11:13 A 16 CABELO DO HOMEM E DA MULHER.
2 CORINTIOS 4:4 PERVERTENDO O EVANGELHO.
EFESIOS 4:17 VAIDADE JOIAS,BRINCO.
ISAIAS 3:16 SAPATO DE SALTO-ALTO

Anchieta Campos disse...

Anisio Trindade, saudações fraternais.

Sinceramente ainda não entendi muito bem o seu comentário. Não sei qual foi o seu objetivo ao escrever.

O tema do post é sobre os pães asmos, e simplesmente não vi nenhuma defesa consistente em favor do uso dos pães asmos. Você cita referências isoladas e sem contextualização. Organize melhor suas produções textuais, pois do modo como escreve nunca conseguirá convencer ninguém do erro, muito menos convencer a deixar o certo.

Você diz, sem fundamento algum, que quem se converte a Jesus se torna um judeu, que coisa! Judeus são os descendentes sangüíneos de Jacó (ou Israel), cf. At 26:1-7, além de inúmeras outras referências. Eu sou um gentio convertido a Cristo (Mt 12:18; Lc 21:24; At 9:15; 10:45; 11:1,18; 13:46-48; 15:3,19; 26:20).

Em outra passagem você diz que eu devo fazer uma Bíblia pra mim em português, alegando que o Antigo Testamento fora escrito em hebraico (e não ebraico) e em aramaico (e não haramaico), e o Novo Testamento escrito em grego. Pelo visto você quis condenar o uso de uma Bíblia sem ser nos originais, onde a Bíblia em português não vale para os brasileiros e a Bíblia em inglês não vale para os americanos. Pois meu caro, existe uma coisa chamada tradução, a qual temos hoje em dia graças aos reformadores do século XVI, e você mesmo usou em seu comentário da tradução bíblica para o português, ou vai me dizer que você só usa e lê a Bíblia em seus idiomas originais?

As outras referências são esparsas, soltas, sem fundamentação e estruturação alguma.

Quanto ao tema dos pães asmos, deixo o seguinte comentário complementar:

Não é o fermento em si que Jesus e os apóstolos condenam, mas sim o que ele representa, ou seja, falsa doutrina, corrupção moral, imoralidade, idolatria, mundanismo, enfim, o pecado em si; são estas coisas que Jesus condena, mas não o fermento. Você nunca irá encontrar uma afirmação de Cristo ou dos apóstolos para que os crentes se abstivessem do fermento. Jesus se comparou a uma porta (Jo 10:7,9), se comparou a uma videira e nos comparou a varas da mesma (Jo 15:5), se comparou também a um pão (Jo 6:51), disse que seu sangue era bebida e seu corpo comida (Jo 6:51-56); Paulo compara Israel aos ramos naturais de uma oliveira e os gentios a um zambujeiro (Rm 11:16-24). Veja bem a simbologia ou literalidade em cada caso concreto.

Lembre-se das palavras de Paulo em 1 Co 10:25-32: “Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência. Porque a terra é do Senhor e toda a sua plenitude. E, se algum dos infiéis vos convidar, e quiserdes ir, comei de tudo o que se puser diante de vós, sem nada perguntar, por causa da consciência. Mas, se alguém vos disser: Isto foi sacrificado aos ídolos, não comais, por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência; porque a terra é do Senhor, e toda a sua plenitude. Digo, porém, a consciência, não a tua, mas a do outro. Pois por que há de a minha liberdade ser julgada pela consciência de outrem? E, se eu com graça participo, por que sou blasfemado naquilo por que dou graças? Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus. Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus”. Aprendemos aqui que podemos sim comer de tudo (algo contrário à Lei Mosaica), e isto não é, em hipótese alguma, pecado. Veja que a recomendação de Paulo é de não escandalizarmos os irmãos (judeus conversos ao cristianismo), e não que a carne seja pecado para a Igreja. É uma questão de opção e comodidade para com os que não compreendem bem a fé cristã.

Vejamos ainda o texto de Rm 14:1-3,5,6,13-15,20,21: “ORA, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas. Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu. Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o SENHOR não come, e dá graças a Deus. Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão. Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda. Mas, se por causa da comida se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua comida aquele por quem Cristo morreu. Não destruas por causa da comida a obra de Deus. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo. Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça”. O texto é claro e completo sobre o tema, não cabendo nem sequer uma hermenêutica sobre o mesmo. Lembre-se também do Concílio de Jerusalém em At 15:1-31.

Por fim, deixo as palavra de Paulo em Cl 2:16,17: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo”. Leia também Is 1:11-18.

Espero ter colaborado em algo.

Abraços.

Que Deus o abençoe e ilumine grandemente. Em nome de Jesus.

Anchieta Campos

ANISIO TRINDADE disse...

SR.ANCHIETA,BOM-DIA

NÃO EXISTEM VERSICULOS ISALADOS;QUEM ISOLOU?

A BIBLIA DIZ EM ISAIAS 28:10 PORQUE É MANDAMENTO SOBRE MANDAMENTO,MAIS MANDAMENTO,REGRA SOBRE REGRA,REGRA E MAIS REGRA:UM POUCO AQUI UM POUCO ALI.

AS IGREJAS TIRARAM JESUS COLOCARÃO,ROSINHAS,SAL-GROSSO,SABONETE PARA LAVAR DIABO,SÃO ERESIAS DESTRUIDORAS,ESCANCARARÃO AS PORTAS, VIZANDO SÓ O DIZIMO E AS OFERTAS.

GALATAS 1:12 POQUE NÃO RECEBI,NEM APREDI DE HOMEM,MAS PELA REVELAÇÃO DE JESUS CRISTO;TEOLOGIA NÃO E DE DEUS.

JOÃO 6:45 SERÃO TODOS ENSINADOS POR DEUS,PORTANTO,TODO AQUELE QUE DO PAI OUVIU E APRENDEUVEM A MIM:TEOLOGIA NÃO É DE DEUS.

MARCOS 13:31 PASSARÁ O CÉU E A TERRA,MAS MINHAS PALAVRAS NÃO PASSARÃO.

1 TESSALONICESES 2:6,7 BRANDURA
TIAGO 3:17 BRANDURA
2 TIMOTEO 2:24 BRANDURA

não pertenço nem uma igreja
sou um caco de barro, um pó

UM ABRAÇO,ANISIO TRINDADE
SÃO PAULO. anitec@ig.com.br

Anchieta Campos disse...

Caro Anisio, saudações fraternais.

Já percebi o modo de pensar e de agir do caro.

Apenas umas poucas observações:

*O sal grosso, sabonetes e outros modismos não fazem parte do culto da Assembléia de Deus, a qual repudia tais modismos heréticos neo-pentecostais.

*Quem dá ênfase exagerada nos dízimos e ofertas são as igrejas neo-pentecostais.

*Você diz que Teologia não é de Deus. Oras, a teologia nada mais é do que um estudo sistemático sobre o Deus da Palavra e da Palavra de Deus (Pv 4:5,7; 18:15; Os 6:3; Mt 22:29; Lc 24:27; Jo 5:39; At 17:2,11; 18:24,28; Rm 15:4; 2 Tm 3:15).

*Hoje em dia existem muitas heresias justamente por falta de um estudo e análise sistemática da Palavra de Deus. Isto é um fato irrefutável. Se o povo de Deus buscasse mais o conhecimento da Bíblia, a situação seria bem melhor.

*Você diz que não pertence a nenhuma denominação. Isto não é nada saudável. Existem inúmeras denominações hoje em dia, e o único ponto positivo disto é não deixar desculpas para uma pessoa que se denomina cristã não ter a sua congregação (Sl 122:1; 1 Co 14:26; Hb 2:12; 10:25).

No demais, que o Senhor lhe abençoe e ilumine grandemente no entendimento de sua Eterna Palavra, em nome de Jesus. Amém.

Abraços.

Anchieta Campos

Lilla disse...

Passei aqui por acaso (?) Bendito acaso!
Gostei do que li. Claro, simples, sábio.

Anchieta Campos disse...

Cara Lilla, saudações em Cristo.

Obrigado pela sua participação e apreço para com o meu humilde blog. Deus a recompensará por isso.

Abraços fraternos e sinta-se sempre bem para participar.

Fica na paz do Senhor Jesus.

Anchieta Campos

Carla disse...

Paz Irmão,

Conheci o seu blog em um site de busca, você é uma benção! Obrigado por esta matéria fantástica sobre pão ázimo, me esclareceu muitas dúvidas sobre este assunto, vou sempre dar uma espiadinha no seu blog. Parabéns!

Carla

Anchieta Campos disse...

Irmã Carla, a paz do Senhor.

Agradeço, de todo o coração, as suas palavras de apoio e incentivo, as quais muito me motivam para continuar com este ministério.

Sinta-se sempre bem para visitar e participar deste espaço.

Abraços.

Anchieta Campos

ADRI disse...

A paz de Jesus esteja contigo!

Estava fazendo uma busca sobre a Santíssima Trindade, e encontrei não por acaso teu blog, pois, não acredito em acaso, acredito em providência divina e estou te parabenizando pela forma inteligente e serena com que conduzes conversas que poderiam gerar muita discórdia.
Continue assim meu irmão em Cristo!
Continue levando de forma clara e serena o Cristo que nós amamos.

Fique na paz de Jesus!

Anchieta Campos disse...

Nobre Adri, a paz do Senhor.

Muito obrigado por suas palavras de apoio e incentivo, as quais muito me motivam. Deus a abençoe por isso.

Abraço.

Anchieta Campos

VANTUIR SANTOS disse...

Paz Irmão Anchieta Campos...sou membro do corpo de Cristo na Assembleia de Deus de Viamão Recententemente postei em meu blog( vantuirsantos.blogspot.com Algo a respeito do vinho alcoólico na santa ceia, algo que me parece não ser praticado na Assembleia de Deus do Brasil, porem ao ler seu artigo, muito interessante diga-se de passagem! fiquei preocupado, quando vc afirma o uso do vinho em sua congregação. Entenda que não estou criticando, pois embora sejamos do mesmo ministério é muito normal que pensamos diferente, mas de acordo com oque tenho aprendido, o suco de uva seria o correto Biblicamente falando, eu(essa é uma opinião minha) acredito que se usamos em nossa igreja o suco da uva, porque o vinho é fermentado, seria coeerente tambem usarmos o pão sem fermento (na minha congregação o pão é com fermento).. Espero que o Sr. tenha me entendido...aproveito para lhe perguntar se posso usar de alguns artigos seus para publicar em meu blog, com as devidas honras...abraço!