sexta-feira, 14 de março de 2008

História sucinta das denominações protestantes no mundo e no Brasil

Irei tecer neste post uma sucinta (mas sucinta mesmo) história das principais e maiores denominações protestantes, tanto as da chamada linha tradicional/histórica e as pentecostais. O povo de Deus precisa conhecer (nem que seja sucintamente) a história das denominações que vemos hoje no Brasil e no mundo.

A estrutura literária fugirá um pouco do cunho teológico, apegando-se principalmente ao estilo pedagógico, até pela razão de que esta publicação ser estritamente informativa.

IGREJA ANGLICANA
A Igreja Anglicana é a Igreja oficial da Inglaterra, fundada pelo rei Henrique VIII no ano de 1534 (período da Reforma) ao romper com a Igreja Católica Romana. É a Igreja não-católica com maior proximidade de doutrina, culto e prática da igreja de Roma. Realizando uma verdadeira mistura entre o catolicismo romano e o protestantismo, a doutrina atual da Igreja Anglicana, inspirada como toda e qualquer igreja protestante, baseia-se fundamentalmente na Bíblia, e nos Trinta e Nove Artigos, que pretendia definir os limites da doutrina da Igreja Anglicana em comparação a doutrina da Igreja Católica Romana, e no Book of Common Prayer (livro de orações habituais), que contém os antigos credos de um cristianismo não dividido. A religião anglicana difere da católica principalmente por negar a autoridade do papa, além de autorizar a ordenação de mulheres como sacerdotes, bem como negar a adoração e o uso de imagens e santos, permitir o casamento entre os membros do seu ministério, além de ter absorvido muitos outros ensinamentos pregados pela reforma protestante, o que a caracteriza nos dias atuais como pertencente a tal grupo, apesar de ter mantido muitas tradições da Igreja Católica. Partindo da Inglaterra a Igreja Anglicana se difunde pelas colônias inglesas, principalmente na América do Norte.
Ela chega ao Brasil pelo Rio de Janeiro através de missionários norte-americanos no ano de 1818. Em 1890 é fundada em Porto Alegre (RS) por missionários americanos a Igreja Anglicana Episcopal do Brasil. De acordo com estimativas da própria igreja, em 2001 havia 106,4 mil adeptos em todo o país.

IGREJA LUTERANA
Fundada pelo teólogo, ex-padre e maior expoente da reforma protestante, Martinho Lutero (1483-1546), é uma das primeiras igrejas a serem fundadas pelo movimento reformador do século XVI. O luteranismo proclama a autoridade definitiva e suprema da Palavra de Deus. A salvação é um presente da graça soberana de Deus realizada pela fé irrestrita no único Salvador, Jesus Cristo; o que é a única forma para se chegar à salvação. Como primeira igreja reformada, é a primeira igreja a abolir o culto as imagens da “Virgem Maria” e dos santos.
A Bíblia é considerada o núcleo fundamental do culto luterano. O luteranismo também recomenda a consulta aos Livros Apócrifos do Antigo Testamento e aceita a autoridade dos três credos ecumênicos (Apóstolos, Nicéia e Atanásio), contidos no Livro da Concórdia. Os sacramentos foram reduzidos ao batismo e à eucaristia porque, segundo a interpretação luterana (e do protestantismo como um todo) das Escrituras, somente estes dois foram instituídos por Cristo. Sem alterar demais a estrutura da missa medieval, o luteranismo estimulou a participação comunitária no culto. Ao contrário dos sacerdotes católicos romanos, o clero luterano pôde contrair matrimônio. Ocorre também à suspensão do latim e o inicio da língua natural de cada localidade nos cultos e a disseminação da Bíblia em língua nativa para os fiéis.
No que se refere à organização e ao governo da Igreja, as comunidades luteranas européias estão vinculadas a seus respectivos governos como igrejas oficiais. Nos países não-europeus, as igrejas são organizações religiosas voluntárias.
As primeiras comunidades luteranas de imigrantes alemães se estabelecem no Brasil a partir de 1824, principalmente no sul do país. O primeiro templo luterano brasileiro é construído em 1829, na cidade de Campo Bom (RS). Das correntes luteranas no Brasil, a maior e mais antiga no país é a Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB). Os luteranos mantém no sul do país a ULBRA (Universidade Luterana do Brasil).
De acordo com o Censo de 2000, há pouco mais de 1 milhão de luteranos no país; um aumento apenas vegetativo de adeptos em relação ao Censo de 1991, que apontava praticamente o mesmo valor.

IGREJA PRESBITERIANA
Presbiteriana, uma das Igrejas do movimento reformador. A Igreja Presbiteriana é fundada pelo escocês John Knox. As Igrejas desta tradição originaram-se na Reforma protestante do século XVI, tendo como raíz do presbiterianismo a teologia do reformador francês João Calvino (1509-1564), contemporâneo de Martinho Lutero, cujo objetivo era estabelecer uma Igreja governada pelo princípio do Novo Testamento, que fala do dever do ancião. Calvino, contudo, não insistiu que o presbiterianismo fosse a única forma de governo permitida pela Bíblia. Sua doutrina é ligeiramente mais rigorosa do que a luterana, especialmente quanto ao comportamento dos fiéis.
Embora a Bíblia seja a autoridade máxima, as Igrejas Presbiterianas também são conhecidas como Igrejas Confessionais, por emitirem declarações sobre teologia e práticas eclesiásticas. O culto presbiteriano permite flexibilidade nas formas e práticas, mas baseia-se na definição de Calvino sobre as características da Igreja: a proclamação do Evangelho e a celebração dos sacramentos.
A Igreja Presbiteriana do Brasil, maior dentre as Presbiterianas, é fundada em 1863, no Rio de Janeiro, pelo missionário norte-americano Ashbel Simonton. Os presbiterianos mantém em São Paulo uma das mais importantes universidades privadas do Brasil, a Mackenzie.
Na década de 1970 surgem grupos com características pentecostais, como a Igreja Cristã Presbiteriana, a Igreja Presbiteriana Renovada e a Igreja Cristã Reformada, que foram os principais responsáveis pelo crescimento do grupo.
De acordo com o Censo de 1991 os presbiterianos somavam 703 mil pessoas; no Censo de 2000, esse número passou para 981 mil presbiterianos no Brasil.

IGREJA METODISTA
Movimento protestante que data de 1740, oriundo de uma dissidência da Igreja Anglicana, quando um grupo de estudantes da Universidade de Oxford (Inglaterra) começou a reunir-se para praticar o culto e os serviços cristãos. Deram ao grupo o nome de ‘Clube Santo’ e a seus membros de ‘metodistas’, pela forma metódica com que realizavam suas práticas religiosas. Dentro do grupo de Oxford estavam John Wesley, considerado o fundador do metodismo, e seu irmão Charles. Os irmãos Wesley apoiavam-se no arminianismo e rejeitavam a ênfase calvinista na predestinação. Eram partidários da doutrina da perfeição cristã e da salvação pessoal por meio da fé. Seus adeptos dão ênfase à santificação e acreditam na capacidade do ser humano de purificar-se perante Deus, abrindo mão de prazeres mundanos e buscando a salvação de forma disciplinada; foi uma das primeiras igrejas a adotarem a idéia de salvação condicional.
Pouco tempo depois da morte de John Wesley em 1791, seus seguidores começaram a dividir-se em vários grupos religiosos, com pequenas diferenças doutrinárias/interpretativas, mas todos com a Bíblia como centro da doutrina e base para a prática do culto. Em 1881 realizou-se uma conferência metodista ecumênica com o objetivo de coordenar os distintos grupos espalhados pelo mundo. Desde então e a cada determinado tempo, fazem esse tipo de reunião. Os metodistas admitem os dois sacramentos preservados pela reforma: o batismo e ‘a Ceia do Senhor’, que pode ser interpretada de duas formas: uma, para celebrar a presença de Cristo e outra para manter o estrito sentido comemorativo.
Os Metodistas foram um dos primeiros grupos protestantes a chegar no Brasil, tentando se fixarem no Rio de Janeiro em 1835, sendo que a primeira Igreja Metodista brasileira é fundada em 1876, por John James Ranson, no Rio de Janeiro.
No Censo de 1991 os metodistas totalizavam 138 mil fiéis; já no Censo de 2000, esse número pulou aproximadamente para 341 mil metodistas no país.

IGREJA BATISTA
Grupo protestante originado em Londres, no ano de 1611, por iniciativa de um grupo de luteranos liderados por Thomas Helwys. Seus membros aceitam os princípios básicos da Reforma Protestante do século XVI, embora tenham sido a primeira denominação a acrescentar outras crenças e práticas, que incluem, inclusive, o batismo, ministrado somente a adultos e por imersão, mediante a confissão de fé, além da separação da igreja e o estado e a autonomia das igrejas locais. A importância dos batistas provém da ênfase especial que colocam nestas e noutras crenças, como também no grande número de membros. A Bíblia para eles também é o centro da doutrina.
Os primeiros batistas chegam ao Brasil fugindo da Guerra Civil Americana (1961-1865) e se estabelecem no interior de São Paulo, na cidade de Santa Bárbara d’Oeste (SP), onde fundam a primeira Igreja Batista no Brasil, de língua inglesa, no ano de 1871. No ano de 1881 desembarcam em Salvador os primeiros missionários batistas, e criam, no ano seguinte, a Primeira Igreja Batista do Brasil. Em 1907 lançam a Convenção Batista Brasileira.
A grande maioria dos batistas (quase 30 milhões por volta da década de 1980) está repartida dentro de 27 grupos nos Estados Unidos, país onde constituem entre um terço e a metade de toda a população protestante.
De acordo com o Censo de 1991 os batistas somavam 1,5 milhão de membros; no Censo de 2000, o número subiu para 3,1 milhões de batistas no Brasil.


ASSEMBLÉIA DE DEUS
É a maior igreja evangélica da América Latina e a maior de caráter pentecostal do mundo; foi a segunda igreja pentecostal a surgir no Brasil. É fundada em Belém (PA) em 1911, pelos suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, ex-batistas oriundos dos Estados Unidos, de onde a Igreja se espalha por todo o território nacional brasileiro e se caracteriza por um grande crescimento. No início dos anos 20, cria-se a Assembléia de Deus no Rio de Janeiro, que passa a ser sede do grupo; posteriormente cria-se a Convenção Geral das Assembléias de Deus do Brasil (CGADB), que rege a união e a base doutrinária dos ministérios que compõem a Assembléia de Deus e que em seguida viria a fundar a Casa Publicadora das Assembléias de Deus (CPAD), a maior editora evangélica da América Latina.
Em 1991, a igreja contava com 2,4 milhões de fiéis; no Censo de 2000 esse número passou para 8,4 milhões; estimativas atuais apontam para valores em torno de 20 milhões de membros. Seus cultos são marcados por hinos de louvores, tanto de crianças, jovens e mulheres, pelo longo sermão do obreiro, baseado em uma passagem bíblica (Leitura Oficial) e por um intenso fervor dos fiéis, além da manifestação dos dons espirituais, como o de línguas estranhas, profecias e curas.

CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL
Primeira igreja pentecostal instituída no país. Surge em 1910 por iniciativa do italiano Luigi Francescon, de origem presbiteriana, que vem dos Estados Unidos para ensinar imigrantes na América Latina. Começa a pregar em Santo Antônio da Platina (PR) e na capital paulista. Nos primeiros 20 anos, a igreja restringe-se aos imigrantes italianos e a seus descendentes. Está concentrada na região sudeste, principalmente em São Paulo. Crêem no batismo com Espírito Santo e em seus dons. É conhecida por seu extremismo em algumas questões doutrinárias e no seu mal relacionamento com as outras denominações evangélicas, em especial com a Assembléia de Deus.
No Censo de 1991 a igreja contava com 1,6 milhão de fiéis, no Censo de 2000, o número subiu para 2,4 milhões de adeptos da Congregação Cristã no Brasil.

EVANGELHO QUADRANGULAR
Fundada por Aimée McPherson em 1927 nos Estados Unidos, chegando ao Brasil em 1953 na capital paulista pelos missionários norte-americanos Harold Williams e Raymond Boatright. Um ano antes eles haviam conduzido a Cruzada Nacional de Evangelização e pregado em todo o país. O nome enfatiza os quatro ministérios de Cristo: o que salva, batiza com o Espírito Santo, cura e o Rei que vai voltar.
De acordo com o Censo de 1991, a Igreja do Evangelho Quadrangular contava com 360 mil fiéis, no Censo de 2000 esse número saltou para 1,3 milhão de adeptos. Sua presença é mais forte nas regiões Sul e Sudeste, principalmente no estado de São Paulo. Enfatiza o batismo no Espírito Santo e seus dons.

DEUS É AMOR
Criada por David Miranda em 1962 na cidade de São Paulo, por uma divisão dentro da Assembléia de Deus, mantém sede mundial na cidade de São Paulo. A igreja é de cunho pentecostal (como bem está escrito no seu nome), crendo no batismo no Espírito Santo e seus respectivos dons. Dá-se ênfase em seus cultos principalmente as curas.
Segundo o Censo de 1991, a igreja contava com 169 mil fiéis, com o Censo de 2000 esse número saltou para 774,8 mil adeptos. Predomina nos estados do Sul e do Sudeste, principalmente em São Paulo e no Paraná. Segundo dados da própria igreja a Deus é Amor possui cerca de 11 mil templos espalhados pelo território nacional, além de marcar presença em mais de 136 países.

Anchieta Campos

3 comentários:

saulo disse...

olá anchieta.
meu nome é saulo, sou do rj e descobri o seu blog no blog da revista geração jc.
gostei bastante do sicinto relato das denominações evangélicas no brasil.

algo que tenho curiosidade, é saber as diferenças entre os jovens assembleianos no nosso pais.
pode parecer algo estranho, mas o que tenho notato, é que a abertura nos costumes da igreja, tem se isolado à capital fluminence, e à algumas outras cidadesgrandes.
tem um presbítero na minha igreja que era da sede da assembleía de Deus em belém, pelo que ele disse, é quese que tudo diferente daqui de onde vivo.
até mesmo na internet, encontro jovens da nossa denominação, que ainda guardam essas doutrinas.
poderíamos falar das nossas diferenças qualquer hora??
talvez possamos crescer mais compartilhando idéias.
o meu e-mail é: sauloss4@hotmail.com
abração.
Saulo D'Souza

Anônimo disse...

Ola!
Meu nome é Leovando Galvão sou Adm. de Empresas e moro em Santo Antônio da Platina PR,nasci em meio as várias facetas das religiões da qual você posta. É muito interessante, só faltou vc falar da verdadeira igreja que deve ser resussitada no nosso tempo.A qual ou você pertence ou está fora.
Tem um livro chamado "O Grande Conflito" que eu não me lembro o nome da autora,lá vc vai perceber que essas divisões são obras de alguém bem esperto que quer dividir e confudir a verdadeira fé.

Anchieta Campos disse...

Caro Leonardo Galvão, saudações em Cristo.

Obrigado pela sua participação em meu blog. Sinta-se sempre bem para participar.

Com certeza todos nós que estudamos as Sagradas Escrituras sabemos que Jesus não virá buscar nenhuma placa de igreja, mas sim a Igreja, única e indivisível Assembléia Universal dos Santos remidos e transformados pelo poder da Palavra e do Espírito Santo, pela eficácia do sacríficio de Cristo no calvário.

O objetivo da postagem era realmente falar das denominações protestantes. Nada além disso. Em minha primeira postagem, onde publiquei minha declaração de fé, dou uma definição clara e bíblica do que é a Igreja.

Concordo que estas divisões não são nada benéficas, sendo o ideal realmente a unidade eclesiástica. Mas creio que o protestantismo pode sim se desenvolver muito bem com as suas principais denominações. O que deveria mesmo ter sido evitado e combatido era essa banalização, onde todo dia surge uma nova igreja "protestante", tendo como resultado essas centenas de igrejas que vemos em nossa época. Isto é um absurdo e grande escândalo.

Abraços fraternos.

Anchieta Campos