domingo, 13 de julho de 2008

O arrebatamento da Igreja em UM momento

Vivemos em uma época realmente trabalhosa (2 Tm 3:1), onde a apostasia da sã doutrina (1 Tm 4:1; 2 Tm 4:3), a falta de amor e o pecado (Mt 24:12) se fazem presentes de um modo inquestionável em nossa sociedade e meio evangélico; são tantas heresias, escândalos, tantas igrejas “protestantes”, tantos modismos e invencionices que deixam claro a proximidade da volta de Jesus sob a ótica eclesiástica.

Os sinais bíblicos da volta de Jesus se confirmam cada dia mais, onde vemos pessoas se passando por Cristo (Mc 13:6,22); são inúmeros os conflitos armados na atualidade no planeta, bem como é notória a tensão envolvendo países como Israel, Irã, EUA, Rússia, Coréia do Norte e até mesmo em nossos vizinhos da América Latina, Colômbia, Equador e Venezuela (Mc 13:7,8a); a ocorrência de terremotos nas últimas décadas tem aumentado de um modo inquestionável, fato já comprovado por levantamentos técnicos (Mc 13:8); é inegável também que na atualidade, mais do que nunca, vemos irmãos matando irmãos, pais matando filhos, filhos matando pais (Mc 13:12); a angústia das nações, em perplexidade pelo bramido das ondas, também tem se cumprido, com maremotos que causaram milhares e mortes com suas tsunamis (Lc 21:25); e o que falar das epidemias que tem sido marcantes nas últimas décadas, com um claro aumento nos últimos anos? Bem como também a fome que cada vez mais assola os países pobres, mais agora com especulações tão noticiadas na mídia sobre a falta de alimentos, sendo estes dois últimos casos também preditos pelo Senhor Jesus (Mt 24:7). Poderia aqui elencar mais exemplos, mas estes já são suficientes.

Como se pode claramente perceber, a Bíblia mais uma vez se mostra um Livro atual, perfeito e que não falha. Os sinais da volta de Jesus se acentuam cada vez mais, nos levando a uma inquestionável verdade bíblica: que o arrebatamento da Igreja está cada vez mais próximo, verdadeiramente muito próximo.

O arrebatamento da Igreja é o evento mais aguardado pelo povo de Deus, que espera a volta de Jesus para nos arrebatar deste mundo para Si mesmo, onde assim estaremos para sempre com Ele. A Bíblia nos alerta que ninguém sabe o dia nem a hora em que se dará o arrebatamento da Igreja (Mt 24:36; Mc 13:32), sendo, portanto, necessário guardarmos as palavras de Jesus em Mt 25:13 “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir” e em Lc 21:36 “Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem”, bem como as palavras do Apóstolo Pedro em 1 Pe 4:7 “E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração”. Ver também 1 Pe 5:8.

A preocupação com a vigilância está fundamentada justamente no ponto já citado de que ninguém sabe quando se dará a volta do Mestre, bem como pela própria natureza deste maravilhoso evento. A palavra arrebatamento provém do vocábulo grego harpázô, que significa roubar, arrebatar ou tomar, no sentido de arrancar com força, de improviso, repentinamente. Esta doutrina encontra-se cristalizada em toda a Bíblia, mas principalmente na passagem de 1 Ts 4:16,17 que diz “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor”, bem como na passagem de 1 Co 15:51,52 que diz: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”. A natureza deste evento é, como bem ficou claro no texto de 1 Coríntios, de momento, ou seja, este arrebatamento se dará realmente de um modo brupto, repentino, um arrancar ou tirar muito ligeiro, realmente em um abrir e fechar de olhos. A palavra grega usada por Paulo para “num momento, num abrir e fechar de olhos”, é átomô, que em uma tradução literal seria “a menor porção de tempo possível de existir, uma porção de tempo tão curta que não admite mais divisão”.

Portanto, não haverá tempo para arrependimento ou reparação do nosso altar perante Deus. Devemos estar preparados para o arrebatamento hoje, e não nos prepararmos. Verdadeiramente não podemos nos dar a esse luxo de vivermos desapercebidos. Aquele que ainda não se arrependeu e se converteu ao Senhor Jesus não pode demorar mais, pois não sabemos quando Jesus voltará ou até mesmo quando partiremos desta vida, devendo os ímpios atentarem para o que está escrito em Hb 4:7 “Determina outra vez um certo dia, Hoje, dizendo por Davi, muito tempo depois, como está dito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações”, e os crentes atentarem para o que está escrito em Hb 3:13 “Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado”.

“Em todo o tempo sejam alvas as tuas vestes, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça” Ec 9:8.

Anchieta Campos

7 comentários:

Edson Dorna disse...

A paz do Senhor!

Essa realidade... é mais verdadeira do que o por do sol... estando preparado ou não Jesus vem... por isso a um clamor em apocalipse 22 ... o Espitiro e a noiva dizem vem...

a verdadeira noiva que é a verdadeira igreja clama pela volta de Jesus!

Em Cristo

Edson Dorna

Anchieta Campos disse...

Caro irmão Edson Dorna, a paz do Senhor.

Essa é a nossa bendita esperança, guardada nos céus e que se não pode murchar. É o motivo maior de estarmos na igreja e de nos separarmos do mundo, estarmos para sempre com o nosso Senhor a partir do arrebatamento da Igreja.

Abraços.

Anchieta Campos

Juber Donizete Gonçalves disse...

Anchieta,

Parabéns pelo artigo. A Segunda vinda de Cristo é a esperança da igreja. Devemos realmente vigiar pois não sabemos quando Jesus voltará.

Graça e Paz,

Juber

Anchieta Campos disse...

Caro irmão Juber Donizete, a paz do Senhor.

Sua participação muito me alegra e honra. Sinta-se sempre bem para participar.

A volta de Jesus é o momento mais esperado e para o qual o crente tem que estar mais preparado.

Abraços.

Anchieta Campos

Bereano disse...

Olá Caro amigo e irmão!
Graça e Paz,
Venho expor ao seu blog e tópico sobre o arrebatamento uma visão diferente de como será a volta de Jeus nosso Senhor,Não quero impor doutrina e nem questionar a fé de ninguem,mas se lermos um pouco mais a biblia entenderemos que as coisas podem não ser bem assim da maneira em que esta relatada em algumas doutrinas cristãs e pulpitos de nossas igrejas atualmente.
Tenho algumas conclusoes biblicas acerca do assunto um pouco diferentes ao falarmos dearrebatamento pré tribulacionismo.E algumas verdades relatadas na biblia que afirma que Jesus não voltará a segunda e a terceira vez...como descrevem alguns pré-tribulacionistas.
Mas claramente tenho em mãos não dois ou tres mais varios textos de nossa biblia sagrada que afirma uma segunda volta de Jesus nosso senhor e apenas a segunda vinda.
Não quero impor nada aqui,mais gostaria que se fosse possivel abrirmos espaço para deixarmos claro aos crentes em Jesus e irmãos o que realmente a biblia nos fala sobre o chamado "Arrebatamento Secreto",o que na verdade precisamos entender claramente e comprovar tudo isto!
Peço que nos comuniquemos por e-mail ou por aqui mesmo neste blog e possamos juntos esclareçermos este assunto.

meu e-mail:victorhugo.pachalis@gmail.com

Um forte abraço
Graça e Paz

Ev.Victor Paschalis

Anchieta Campos disse...

Irmão Victor Paschalis, a paz do Senhor.

O objetivo central deste artigo é apenas para alertar sobre a realidade de que Jesus voltará para arrebatar a sua Igreja em um momento não sabido, sendo que tal arrebatamento será imensuravelmente rápido, o que creio que concordas comigo até então.

Se queres discorrer sobre se esse arrebatamento deve ser classificado como pré, midi, ou pós tribulação, saiba que estou aberto para tanto. Apenas friso que estou bastante convicto de minhas bases bíblicas, notadamente para crer no pré-tribulação, assim como creio que o amado se encontra bastante firmado em seu posicionamento pós.

Contudo, creio que será bastante proveitoso trocarmos idéias, haja vista sermos crentes em Jesus e em sua Palavra.

Abraço.

Anchieta Campos

Abrahão Ribeiro disse...

FORA DO CORPO – Além do Plano Carnal


“Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos (se no corpo, não sei; se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado até a terceira dimensão celeste. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei, Deus o sabe)... Foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inexprimíveis”...

(Apóstolo Paulo II Coríntios 12.1 a 10) Bíblia sagrada



A capacidade de projetar-se mentalmente para fora do corpo carnal, e sentir as interações da vida extrafísica, é tão antiga quanto o ciclo do sono fisiológico e, a consciência continuar de forma ativamente lúcida processando os sonhos nas suas mais variadas freqüências pelos canais de força da mente.

Nestas anotações o apóstolo Paulo se reporta a uma de suas visões em espírito além dos sentidos do plano carnal, experiência essa ocorrida na sua vida intima há mais de 14 anos, quando se dera a sua iniciação evangélica aos ideais do Cristo. Pois como é do conhecimento de todos Paulo era descendente de família de classe rica e que seguia as tradições rigorosas do judaísmo. E, quando se convertera ao cristianismo, Paulo fora deserdado por seu genitor, que não aceitando a sua mudança de atitude aos novos princípios da fé, chegara ao extremo de expulsá-lo do lar paterno...

Paulo estando sozinho e angustiado ao relento em uma das cavernas nas proximidades da cidade de Tarso, em certa noite estrelada quando se prepara para dormir, após as meditações saudáveis, a sua alma se desliga conscientemente do corpo carnal e adentra o mundo espiritual, que vibra em outra dimensão, na dimensão extrafisica. E assim Paulo tem intercambio educativo e maravilhoso com os seres espirituais que vivem nos planos celestes e que inspiram os seres humanos encarnados, em nome de Deus. Paulo nestes conhecimentos teve a certeza do amparo invisível dos agentes espirituais protetores. Desse glorioso experimento o apóstolo Paulo extraiu conclusões edificantes e consideráveis referentes ao corpo espiritual proposto na epístola de primeiro Coríntios, capítulo 15, versículos 44 a 50 – Bíblia sagrada.


Maiores informações desses relatos do apóstolo Paulo, ler a obra intitulada Paulo e Estevão, psicografia de Francisco Candido Xavier.

vozqclamabr.blogspot
Intensivo de Difusão Espiritualidade - i de