sexta-feira, 9 de maio de 2008

É pecado comer carne?

Um dos motivos para o surgimento de heresias e problemas para a Igreja Cristã é o de não saber realizar uma análise do Velho Testamento de acordo com o Novo Testamento (e não o contrário). É a Nova e Eterna Aliança (Mt 26:28; 2 Co 3:6; Hb 13:20) que tem que nos orientar para compreendermos bem o Velho Testamento; é o Novo Testamento que explica o Velho (Jo 3:14; Gl 3:15-29; 4:21-31; Cl 2:17; Hb 8:5-13; 9:1-12; 10:1). Quando ocorre uma inversão nesta sistemática, anula-se os ensinos para a Igreja Cristã, subordinando-os aos ensinos da Antiga Aliança para Israel, surgindo assim heresias e aberrações teológicas para a Igreja Neo-testamentária.

Um destes inúmeros pontos é a questão da carne. Afinal de contas, é pecado o crente em Jesus comer carne?

Não, não é pecado. A Bíblia, tanto no Velho Testamento, bem como (e principalmente) no Novo Testamento, nos ensina que não há mal algum (teologicamente falando) na ingestão de carne em nossa dieta. Tanto faz esta estar bem ou mal passada, com gordura ou sem gordura, ser de porco ou não, simplesmente é indiferente para o povo de Deus estas questões.

Nós percebemos, em pleno VT, na origem da raça humana nesta terra, que as primeiras palavras de Deus ao homem foram: “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento. E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi Gn 1:28-30. Mais na frente vemos as palavras de Deus a Noé, após o dilúvio, dizendo: “E ABENÇOOU Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra. E o temor de vós e o pavor de vós virão sobre todo o animal da terra, e sobre toda a ave dos céus; tudo o que se move sobre a terra, e todos os peixes do mar, nas vossas mãos são entregues. Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento; tudo vos tenho dado como a erva verde” Gn 9:1-3.

Percebemos, de pronto, que o plano e a vontade de Deus sempre foi a de que o homem dominasse a todos os animais e deles também se alimentasse. Frise-se que estas palavras de Deus eram em uma época em que não existia lei, vindo somente nesta a surgir algumas restrições para o povo Judeu (sendo que a lei era para os mesmos, cf. Gn 17:9,10 Êx 12:14; 29:42,43; 30:8; 31:13,16,17; Lv 23:21,31,41; Nm 18:23; Dt 4:1).

Destarte, nos próprios registros vero-testamentários vemos que o povo de Israel comia carne sim, e como comia carne (ver meu post A verdadeira Páscoa bíblica). O próprio Deus disse em Dt 12:15,20-22: “Porém, conforme a todo o desejo da tua alma, matarás e comerás carne, dentro das tuas portas, segundo a bênção do SENHOR teu Deus, que te dá em todas as tuas portas; o imundo e o limpo dela comerá, como do corço e do veado; Quando o SENHOR teu Deus dilatar os teus termos, como te disse, e disseres: Comerei carne; porquanto a tua alma tem desejo de comer carne; conforme a todo o desejo da tua alma, comerás carne. Se estiver longe de ti o lugar que o SENHOR teu Deus escolher, para ali pôr o seu nome, então matarás das tuas vacas e das tuas ovelhas, que o SENHOR te tiver dado, como te tenho ordenado; e comerás dentro das tuas portas, conforme a todo o desejo da tua alma. Porém, como se come o corço e o veado, assim comerás; o imundo e o limpo também comerão deles. Precisa falar mais alguma coisa?

Lembremo-nos ainda que a gordura era considerada a parte mais rica ou melhor, sendo oferecida integralmente ao Senhor (Lv 3:16); logo, não é pecado ao crente também comer da gordura, cf. Is 55:2 que diz "Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura".

Percebemos que as proibições do VT não eram absolutas, nem mesmo para Israel, muito menos para a Igreja do Senhor. Elas queriam, em suma, ensinar a Israel sobre o seu papel de diferença e santidade em um mundo caído no pecado, idolatria e no paganismo.

No NT, a plenitude dos tempos, o cumprimento das sombras que proviam da lei, vemos que o ensino é categórico em relação ao assunto.

Seguindo a mesma linha de pensamento e espírito doutrinário do VT, o NT nos mostra, de um modo cabal e claro, que comer carne não foi, é, e nunca será pecado. O próprio Cristo nos mostra esta verdade, quando na parábola do filho pródigo, por ocasião do retorno deste ao lar paterno, o pai matou um novilho cevado para festejar o regresso do querido filho (Lc 15:23). Oras, se fosse pecado comer carne, Jesus nunca teria usado esta ilustração; Jesus sabia mais do que ninguém o que deveria ou não ser ensinado e incentivado. Jesus também nos ensina sobre a ingestão de carne em Jo 21:9-13, onde o Mestre, juntamente com alguns discípulos, jantaram peixe assado com pão. Em Lc 21:42,43, nós vemos novamente Jesus, após a ressurreição, comer peixe assado.

E o que Paulo disse sobre o assunto? Oras, a opinião de um judeu tão zeloso como era o Apóstolo dos gentios com certeza tem peso neste assunto, até pelo fato de todos sabermos que o mesmo fora usado grandiosamente por Deus para doutrinar a igreja do Senhor.

Vejamos neste contexto as palavras de Paulo em 1 Co 10:25-32: Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência. Porque a terra é do Senhor e toda a sua plenitude. E, se algum dos infiéis vos convidar, e quiserdes ir, comei de tudo o que se puser diante de vós, sem nada perguntar, por causa da consciência. Mas, se alguém vos disser: Isto foi sacrificado aos ídolos, não comais, por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência; porque a terra é do Senhor, e toda a sua plenitude. Digo, porém, a consciência, não a tua, mas a do outro. Pois por que há de a minha liberdade ser julgada pela consciência de outrem? E, se eu com graça participo, por que sou blasfemado naquilo por que dou graças? Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus. Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus. Aprendemos aqui que podemos sim comer de tudo, e isto não é, em hipótese alguma, pecado. Veja que a recomendação de Paulo é de não escandalizarmos os irmãos (judeus conversos ao cristianismo), e não que a carne seja pecado para a Igreja. É uma questão de opção e comodidade para com os que compreendem bem a fé cristã.

Vejamos ainda o texto de Rm 14:1-3,5,6,13-15,20,21: “ORA, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas. Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu. Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o SENHOR não come, e dá graças a Deus. Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão. Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda. Mas, se por causa da comida se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua comida aquele por quem Cristo morreu. Não destruas por causa da comida a obra de Deus. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo. Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça”. O texto é claro e completo sobre o tema, não cabendo nem sequer uma hermenêutica sobre o mesmo.

Não posso esquecer de citar Tt 1:15 que diz: Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados”. Que duras palavras! Creio que mais duras ainda são as palavras em 1 Tm 4:1-4 que diz: “MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência; Proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças; Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças; é isso mesmo, proibir a ingestão de alimentos é mentira e doutrina de demônios, sendo que o próprio texto afirma que Deus criou os alimentos para os fiéis. Portanto, como diz o matuto, comer é uma invenção de Deus.

Portanto, como bem afirmou Paulo em Cl 2:16, ninguém pode ser julgado pelo seu comer.

Por fim, cabe a citação do tão conhecido texto de At 10:9-16 que diz: “E no dia seguinte, indo eles seu caminho, e estando já perto da cidade, subiu Pedro ao terraço para orar, quase à hora sexta. E tendo fome, quis comer; e, enquanto lho preparavam, sobreveio-lhe um arrebatamento de sentidos, E viu o céu aberto, e que descia um vaso, como se fosse um grande lençol atado pelas quatro pontas, e vindo para a terra. No qual havia de todos os animais quadrúpedes e répteis da terra, e aves do céu. E foi-lhe dirigida uma voz: Levanta-te, Pedro, mata e come. Mas Pedro disse: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda. E segunda vez lhe disse a voz: Não faças tu comum ao que Deus purificou. E aconteceu isto por três vezes; e o vaso tornou a recolher-se ao céu”.

Cabe mais alguma explicação? Ainda restam dúvidas?

Anchieta Campos

11 comentários:

studioimpactus disse...

bem amigo pra entender este ultimo veso da bíblia vc tem que ler ele todo!!! veja o que aconteceu depois, um homem que ñ era judeo se aprocimou dele, em que ele mesmo a considerava imundo, foi axatamente por isso que ele recebeu esta visão para que recebesse a pessoa que viria, portanto este verso nada tem a ver com alimentação, mas sim com descriminação isto é muito bem evidente e claro se vc estudar o restande da passagem, cuidado tudo que escreve aqui muitas pessoas vão ver e se vc colocar algo que ñ condis realmente com a palavra de Deus vc pode ser cumplice do sangue dos poderao ser enganados pense muito bem no que escreve e mais ainda estude relemente as passagens bíblicas para saber realmente o que dis amigo fica na Paz do Senhor Jesus Amem!!!

studioimpactus disse...

Amigo este assunto é muito claro na bíblia, a principio o homem realmete nao foi feito para comer carne, no jardim do edem, se quer realmente entender este assunto estude o sistema digestivo dos animais saparando em erbiveros e carniveros e estude todo o sistema digestivo deles e veras diferenças distintas nos dentes na garganta no estomago e no intestino, e agora estude o sistema digestivo humano e tente colocar em uma das classificações, e veras claramente que o ser humano é erbívero, e que o ato de comer carne é contra a natureza do organismo humano, que ñ consegue digerir carne em seu sistema digestivo tão rapidamente como os animais carniveros, portanto por acasiao do diluvio Deus autorizou o carne comoa alimento por motivo da exterminação de todo vegetal, mas mesmo assim não autorizou que comessem de todos os animais, os animais limpos que poderiam comer entraram em maior quantidade deles na arca e os imundos somente um casal suficiente para procriação, mas a vontade de Deus era que quando brotasse a erva eles voltassem a alimentação de origem natural de antes porem eles não o quiseram deixar porem mesmo contra a vontade Desus os permitiu que continuassem a comer carne mas porem a imanidade não perde a salvação por comer as carnes de especies consideradas limpas por Deus, mas por desobedecerem a vontade de Deus a umanidade sofre até hoje as conseguencias na saude por se alimentar alimentos contrarios a sua própria natureza, o ser humana perdeu o a sua longevidade de geração em geração após o diluvio, vemos isto analizando a geneologia dos decendentes da familha de noé porem amigo a salvação é realmente e puramente pela graça, mas se voce realmete for salvo por Deus vai desejar fazer a vontade Dele e ñ as coisas contrarias ao senhor pois pelos frutos os conhecereis, como pode alguem dizer que está com Deus e ser salvo, liberto e trasformado por ele se suas obras são frutos maus?? se assim vc prega é mentiroso e Deus não pode estar em voz!!! espero relamente poder ter contribuido para exaltação de Deus e fortalecimento de sua fe no nosso pai celestial, ficam todos na paz do nosso Senhor Jesus Cristo!!!! Amem!!!

Anchieta Campos disse...

Caro "Studio Impactus", saudações fraternas.

Como sempre digo aqui, é um direito de cada um não concordar com o que eu externo em meus artigos, agora sempre peço que se use de fundamentos bíblicos sistemáticos e razões lógicas, além de quem se der ao trabalho de discordar de mim fazê-lo de modo completo e terminativo, se é que é possível.

Este meu artigo em questão é repleto de referências bíblicas, tanto vero como neo testamentárias. Todas contextualizadas e organizadas na sistemática do tema central.

O caro leitor de meu blog se ateve, em seu primeiro comentário, a dizer que a passagem de atos 10 não se refere a alimentos, mas sim a pessoas gentias. Os alimentos, como é de pleno conhecimento, era um dos sinais mais fortes de separação entre judeus e gentios. As palavras de Deus na visão eram referentes à alimentos somente; a passagem é clara quanto à ordem emanada dos céus: matar e comer qualquer tipo de animal, pois Deus é quem púrifica. O entendimento desta visão em relação a gentios foi deduzido sabiamente por Pedro, pois se até mesmo os alimentos imundos eram purificados para serem recebidos pelos judeus, o que impediria que os gentios (que semelhantemente eram tidos por imundos e comuns) fossem recebidos por Deus e pelos judeus?

Em seu segundo comentário você afirma em um primeiro momento que o homem não era para comer carne desde o Jardim do Édem, bem como que a vontade de Deus após o dilúvio não era para que a humanidade ingerisse carne, tendo sido essa vontade divina suplantada pela vaidade humana. Quanta presunção! Até parece que o amigo não leu o meu artigo! Dá até vontade de não repetir os argumentos bíblicos externados neste mesmo artigo o qual comento.

Deus no início não fez nenhuma proibição de se comer determinado alimento a única exceção fora o fruto da árvore proibida. Mais na frente vemos as palavras de Deus a Noé, após o dilúvio, dizendo: “E ABENÇOOU Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra. E o temor de vós e o pavor de vós virão sobre todo o animal da terra, e sobre toda a ave dos céus; tudo o que se move sobre a terra, e todos os peixes do mar, nas vossas mãos são entregues. Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento; tudo vos tenho dado como a erva verde” Gn 9:1-3; perceba que no fianal Deus di "tudo vos tenho dado como a erva verde"; aqui Deus confirma sua pretensão do homem se alimentar não só das ervas e vegetais, mas também da carne.

Mais a frente o caro faz uma distinção, nitidamente mosaica/legalista e vero-testamentária, entre animais puros (que poderiam ser ingeridos) e animais impuros (que não poderiam ser ingeridos). Argumentação característica dos adventistas do sétimo dia (acho que você é um). É neste momento que me retorno a passagem de atos 10, da visão de Pedro; oras, na visão de Pedro ele disse que no lençou havia de TODOS os animais QUADRÚPEDES, répteis e AVES do céu, e quem conhece bem o AT sabe que haviam quadrúpes e aves puros (livre para ingestão) e outros impuros (proibidos para ingestão), logo deduzo que a visão não fez distinção alguma entre animais puros e "impuros", sendo ambos igualmente purificados por Deus. Assim os alimentos "puros" nunca foram "puros" em si, pois também necessitaram serem purificados por Deus. Logo, concluo este raciocínio, a classificação de "puros" e "impuros" no AT era meramente legalista e simbolizava o concerto específico que Deus tinha para com Israel.

Adiante o amigo chega a dizer que o homem é vegetariano por natureza, em virtude de prováveis dificuldades em se digerir carne em detrimento de ervas e vegetais. Que absurdo! Então quer dizer que quando Deus mandava o homem comer carne (além de mandar carne as vezes pro homem comer) ele estava desconhecendo o sistema digestivo do homem que Ele próprio criou? Estaria Deus propiciando males de saúde para o seu povo? Tenha santa paciência!

No final o amigo leitor realiza uma pobre analogia entre frutos do Espírito Santo (os quais acho lhe faltam alguns, como pude perceber com o ar "amoroso" e "espiritual" que escreve) com a minha "má obra" de defender a liberdade de ingestão de carne, chegando a me chamar de mentiroso (quanta propriedade!). Só digo que é justamente por ter os frutos do Espírito em minha vida que eu defendo piamente as doutrinas bíblicas com amor, zelo, paciência e temor.

Encerrando, o amigo leitor (adventista de carteirinha) não refutou meu artigo, não comentou meus muitos argumentos, e os dois pontos que tentou refutar foram embasados no raciocínio humano/tendencioso, além de uma pura teologia vero-testamentária parcial, em detrimento da sistemática bíblica como um todo, principalmente do NT.

Da próxima vez organize melhor seu texto, ok? Não assassine o bom português, mesmo sendo este blog apenas um espaço "informal" da internet.

Concluo pedindo que não me tenha por mal, apenas usei palavras e argumentos dentro do campo das idéias.

Abraços.

Que Deus o abençoe e ilumine grandemente, em nome de Jesus. Amém.

Anchieta Campos

studioimpactus disse...

Bom amigo, em primeiro lugar os saudo com a paz do Senhor, ñ quero trasnsformar este blog em um debate, mas eu ñ escrevi realmete referencias bíblicas por saber que vc conhece cada assumto, simplesmente eu lhe alertei e pesso que analize muito bem o conteúdo no contexto dos objetivos dos caítulos da bíblia, seja sábio perante o senhor, pois Deus jamais falaria em sua palávra uma coisa e em outro lugar outra coisa contraria, saiba que Deus é um só e tem uma só palávra e ñ muda a ñ ser as coisa já cumpridas, afinal ñ sou Adventista porém a diferença é que estudo a bíblia para me ensinar como ela é e ñ para defender os meus preceitos ou placa de qualquer igreja entende?? porem quero que fique bem claro que devemos aceitar a bíblia como ela é!!! e que Deus ñ fica contente quando comemos carne, porem apenas ñ podes comer as carnes imundas que sei que já sabem quais são pois vejo que é conhecedor e estuda a palavra, saiba porem que a salvação é única e exclusivamente pela fé em Jesus Cristo, e que por meio desta fé Ele nos livra de toda a lei, perdoando e dando uma nova vida de acordo com a vontade de Deus implantada em nossos corações trazendo tranformações incríveis, que nos fazem guardar toda a lei, no contexto geral ñ apenas os dez mandamentos, semdo assim o que fazemos por amor a Deus por obras do espirito santo em nós, florando naturalmente sem sacrificio, porem se fizermos o contrario buscarmos primeiro as obras e depois a graça estas obras se tornam obras da carne, ñ tendo valor algum espiriualmente falando!!! este é o verdadeiro evangelho que deveria ser pregado em todos os cantos da terra!!! entende amigo?? que o espirito santo esteja brilhando em sua mente e que muitos possam conhecer a cristo atraves de ti!! um grande abraço e fique na paz do Senhor!!!

Anchieta Campos disse...

Caro Studio Impactus, a paz do Senhor.

Lhe agradeço pelo modo serene e sábio com o qual se expressou no último comentário.

Sou lhe grato também pelas palavras escritas, que demonstraram atenção e um certo zelo pela Palavra.

Encerro aqui este comentário, dizendo que permaneço firme e forte em meu entendimento bíblico, bem como respeito e louvo o fato do caro se abster de certo tipo de carne, fato este que não é pecado, o que fora exposto em meu artigo. Não podemos julgar ninguém pelo comer ou deixar de comer. Creio que é uma opção que a graça nos concede, bem como uma liberdade que Deus nos concede.

Reforço dizendo que meu artigo se manteve em pé, no sentido de responder satisfatoriamente a pergunta que lhe dá título.

No demais, que Deus o abençoe, ilumine e o use em sua maravilhosa obra. Amém.

Anchieta Campos

Rolembergue disse...

Amigo Anchieta, sou adventista e respeito seu comentario, mas te pergunto: Se não existia a morte no jardim do Edem antes do pecado, é coerente pensar que o homem comeria carne no Jardim do Edem? Existiria algum tipo de derramamento de sangue antes do pecado? Pense direitinho, tá bem? Outra pergunta: em que momento o porco e as carnes proibidas em Levitico 11 passaram a ser consideradas limpas? No nascimento de Cristo (foi Ele que proibiu, pois foi Ele que estava com o povo no deserto), na sua morte, no seu batismo ou depois da ascenção? Outra pergunta: Pedro era assim tão disperso que nao havia entendido que ja se podia comer carne de porco? E os outros discipulos estavam avisados? Jesus disse e ele não entendeu, mas em que texto? Será que Pedro avisou aos outros e a Paulo e a Tiago ou só Pedro era ignorante? Voce leu Atos 10 com sinceridade? Voce poderia mostrar algum texto biblico em que diga que já se pode comer as carnes que Jesus proibiu em Levitico 11? Voce sabia que o termo limpo e imundo ja existia antes do diluvio e portanto não era uma proibição somente para Israel? Anchieta, eu lhe respeito muito, mas estuda mais um pouquinho sobre a relação Lei/Graça e Fé/Obras, nós temos muitos materiais sobre isso que vao te ajudar a entender bem essa questão. Voce vai ver que a Lei de Deus é eterna e a Graça não anula a Lei (Romanos 3:31)ambas de completam no processo de salvação, alías a Graça veio para perdoar o quebrantamento da Lei, uma traz a outra. Cuidado ao falar da Lei de Deus, pois quem tropeça em um só ponto dela, torna-se culpado de todos (Tiago 2:10). Vá devagar na sua analise, pra não afrontar àquele que deu a Lei no Sinai, o Nosso Senhor Jesus Cristo.

Anchieta Campos disse...

Caro Rolembergue, saudações fraternas.

Também respeito o seu ponto de vista. Mas, me perdoe a franqueza, não se refuta um artigo como este meu com perguntas frágeis e sem sistemática como estas.

No direito não se contesta uma petição inicial esquecendo-se os seus argumentos e soltando perguntas que não ajudam em nada ao contestante.

O artigo atinge com tranqüilidade o seu objetivo, qual seja, demonstrar pela Palavra que não é pecado o cristão, sob a égide da Nova Aliança, comer carne.

Nenhum argumento ou referência fora refutada. Isto posto, meu artigo permanece de pé.

Aproveito e deixo para sua leitura os meus artigos:

http://anchietacampos.blogspot.com/2009/06/observancia-dos-mandamentos-e-salvacao.html

http://anchietacampos.blogspot.com/2009/04/pascoa-e-suas-particularidades.html

Aproveito e deixo uma pergunta: você não tropeça em nenhum ponto da lei? cumpre toda a lei? Se sim, então és um "cristo"! Ponha uma cruz e vá salvar a humanidade meu caro!

Abraço.

Anchieta Campos

Anônimo disse...

Muitos crêem que, para se manterem santos, devem observar certas comidas. O Senhor Jesus manifestou-se claramente sobre este assunto, dizendo ser observância uma Doutrina de Homens:
“Em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens”.
E chamando a si a multidão, disse-lhes: Ouvi e entendi: o que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem (Leia tudo em Mateus 15:9-19).
Paulo, que era judeu observador do Velho Testamento e conheceu a graça de Deus, tornando-se um cristão fiel, escreveu:
“Porque o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo (Rm 14:17). “Eu sei e estou certo, no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesmo imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda” (Rm 14:14). “Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova” (Vers.22).
Este é o segredo para tudo o que você for fazer: a sua própria consciência.
“Mas aquele que tem dúvidas, se come, está condenado, porque não come por fé; e tudo que não é de fé é pecado.”(Rm 14:22-3).
Nós não podemos julgar nem quem come e nem quem não come. Paulo diz:
“Porque um crê que de tudo se pode comer , e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come” (Rm 14;2-3).
O problema é que o fraco sempre quer julgar os outros, e está sempre tentando fazer a cabeça de alguém sobre alimentação. Paulo escreveu:
“Quem és tu que julgas o servo alheio? Para seu próprio Senhor está em pé ou cai; mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar" (Rm 14:4).
“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer ou pelo beber” (Cl 2:16).
Você não será julgado por causa de comida alguma. Mas siga a sua consciência: se você acha que comer carne de porco é pecado, não coma. Se você não vê problema algum, bom apetite. Não é pecado.

bianca barros disse...

Acredito no que disse. Só tenho uma dúvida. Nao comer carne de animais que foram sufocados valia para a lei, para o tempo da lei, certo? Jesus morreu e pagou o preço que nunca conseguiriamos pagar. Glória a Deus. Eu soube e tem vídeos de como os animais são mortos para comermos. Eles vêem os outros morrendo e ficam com medo e inquietos, quando chega a sua vez eles se debatem, sofrem muito. É uma morte muito sofrida. Esses animais sao sufocados mesmo. Por esse motivo, pelo sofrimento dos bichinhos e o sufoco, nao seria errado ainda comer essa carne sufocada? Generalizando. Pf, responde =/ dúvida cruel.

Anchieta Campos disse...

Prezada Bianca, saudações em Cristo.

Entendo perfeitamente sua preocupação. Sou um defensor dos animais; repudio os maus tratos a todo e qualquer tipo de animal.

Porém, o fato do abate dos animais que nos servem de alimento ser cruel e injusto em alguns casos, não torna o ato de comer a carne em pecado, conforme relatado no artigo.

Existem métodos indolores de abate, os quais estão sendo cada vez mais usados, principalmente na grande indústria. Esperamos que estes métodos cheguem nas estruturas menores e menos capitalizadas.

Em Cristo,

Anchieta Campos

Edson Carlos Pereira Carlos disse...

Gostei muito