domingo, 28 de junho de 2009

Compreendendo Mt 24:34 – A importância da exegese

“Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam” Mt 24:34 (cf. Mc 13:30; Lc 21:32).

Como compreender a declaração de Jesus acima? A geração da época de Jesus evidentemente que já morreu, já passou. Teria o Mestre cometido um erro? Claro que não.

Por mais que o crente leia a Bíblia de cima a baixo em busca de um esclarecimento para esta frase de Jesus, o mesmo nunca achará uma sistemática que venha satisfatoriamente a lhe esclarecer Mt 24:34, pois a resposta está no próprio versículo em análise, só que “escondida” na exegese do grego remoto dos escritos neo-testamentários.

A palavra “geração” no versículo acima provém do grego “γενεὰ”, palavra transliterada como “genea”, que significa simplesmente “raça, tipo de povo”. Logo, Jesus quis dizer que todos os eventos escatológicos até então mencionados se cumpririam sem que o povo judeu passasse, ou fosse extinto (sumisse) da terra.

Inegavelmente a velha e boa teologia (neste particular representada pela exegese bíblica), às vezes tão censurada e menosprezada no meio protestante (principalmente no meio pentecostal), é de uma importância indispensável para um correto e puro entendimento das Sagradas Escrituras. Citei o simples exemplo de Mt 24:34, mas são inúmeros os exemplos do nosso dia-a-dia que mostram, por ‘a’ mais ‘b’, que sem educação teológica é impossível ser um bom crente ortodoxo e fiel a sã doutrina.

Infelizmente não é raridade vermos a ortodoxia bíblica sendo assassinada nos púlpitos reformados, tanto por líderes como por “meros” membros. Fico doente quando vejo o estudo e formação teológica serem censurados e/ou menosprezados em nosso meio. Por que ainda há em muitos lugares o receio de que o conhecimento bíblico/teológico seja difundido e alcance mais o povo evangélico? Será que o conhecimento verdadeiro e puro da Palavra de Deus é mesmo temido por algumas pessoas de posição no meio eclesiástico? Interesses e comodidades pessoais estariam realmente em jogo com a difusão deste nobre saber? Quem tem o conhecimento tem as respostas!

“A fé não consiste na ignorância, mas no conhecimento” João Calvino.

Sola Scriptura!
Anchieta Campos

6 comentários:

Pastor Mozart Paulino disse...

Paz irmão Anchieta,

Parabéns pelo texto. Sua avaliação hermenêutica foi fidedigna às Escrituras Sagradas.

Aprecio uma análise disprovida de preconceitos (entenda-se conceito pré-concebido) teológicos e doutrinários pessoais.

Toda boa interpretação (não necessariamente precisa e isenta de erros) provém da sincera avaliação gramatical, social, teológica e moral da época.

Que o Senhor continue o abençoando nessa empreitada.

Do seu conservo em Cristo Jesus,

MSP

Anchieta Campos disse...

Caro pastor Mozart, a paz do Senhor.

É motivo de grande honra e motivação contemplar estas suas palavras em meu humilde blog. Deus seja louvado por isso.

A sinceridade, verdadeiramente, é fator fundamental para tudo que se faz sobre esta terra, sendo que com a hermenêutica não é diferente.

Obrigado por sua valiosa intervenção.

Deus te abençoe cada vez mais.

Abraço.

Anchieta Campos

Nilson Coelho disse...

Meu caro Anchieta, parabéns pelo comentário. Um abração em Cristo.

Anchieta Campos disse...

Caro irmão Nilson Coelho, a paz do Senhor.

Muito obrigado por suas honrosas e motivadoras palavras. Deus seja louvado e lhe abençoe por isso.

Abraço.

Anchieta Campos

Sergio Christino disse...

A Paz do Senhor irmão, procuro sempre me colocar a disposição de Deus através dos estudos bíblicos e teologicos para não errar diante da Palavra do Senhor. Faço como a própria Palavra nos diz: Procura apresentar-te a Deus como um obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da verdade, o que vejo hoje são pessoas que não tem nem comprometimento e nem vontade de aprender a verdade da Palavra e ainda coloca os que estão a disposição dos estudos que não há necessidade da Teologia.

Anchieta Campos disse...

Prezado irmão Sérgio, a paz do Senhor.

Esta barreira citada pelo irmão praticamente já não existe mais nas igrejas reformadas históricas, sendo que é nas igrejas pentecostais onde ela persiste com uma certa força.

Isso precisa ser mudado o quanto antes. Estamos perdendo muito com esta mentalidade pobre ainda operante em nosso meio.

Graças a Deus que existem pentecostais esclarecidos como você, os quais estão sendo cada vez mais comuns. Amém.

Deus te abençoe cada vez mais.

Abraço.

Anchieta Campos